segunda-feira, 9 de maio de 2011

IMITAI VOSSOS PASTORES?

     Devemos imitar o modo de viver de nossos pastores: "Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver." (Hb 13.7), mas como imitar, às vezes, atitudes absurdas que vão de encontro à Palavra?
     Devemos nos acautelar quanto aos pastores que se encontram em nosso meio. Vemos que as atitudes de alguns demonstram o profetizado pelo Senhor Jesus: "Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi, abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade." (Mt 7.22-23), portanto, embora usados por Deus, não vivem a justiça, adquirindo CDs e DVDs piratas (veja nosso estudo em: http://separandoojoiodotrigo.blogspot.com/2011/03/inquestionavel-pirataria-e-pecado.html ), dirigindo carros sem possuírem carteira de habilitação, conduzindo veículos com busca e apreensão decretados e subornando autoridades, utilizando para isso até mesmo dinheiro de dízimos, ou buscando apoio em políticos para lhes "quebrar o galho", tendo em suas casas "gatos" de internet, de tv a cabo, de luz e de água.
     Há também aqueles que "vivem da obra" como propósito de Deus para as suas vidas. Amados, retornemos novamente às Escrituras, e analisemos o que disse Paulo: "Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus." (I Ts 2.9). Leiam também uma carta fantástica de Paulo quanto a essa questão em II Ts 3: "No demais, irmãos, rogai por nós, para que a palavra do Senhor tenha livre curso e seja glorificada, como também o é entre vós; E para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque a fé não é de todos. Mas fiel é o Senhor, que vos confortará e guardará do maligno. E confiamos de vós, no Senhor, que não só fazeis, como fareis, o que vos mandamos. Ora o Senhor encaminhe os vossos corações no amor de Deus e na paciência de Cristo. Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome do nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que andar desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu. Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós, nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes. Porque quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma, também. Porquanto ouvimos que alguns, entre vós, andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs. A esses tais, porém, mandamos e exortamos, por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão, e vós, irmãos, não vos canseis de fazer bem. Mas, se alguém não obedecer a nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão. Ora o mesmo Senhor da paz vos dê sempre paz, de toda a maneira. O Senhor seja com todos vós! Saudação da minha própria mão, de mim, Paulo, que é o sinal em todas as epístolas; assim escrevo. A graça do nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós! Amém."
     Quais estão sendo as suas atitudes? E a de seus pastores? Não façamos da obra do Senhor um empreendimento com fins lucrativos!
     Há os pastores que dizem: "pago o preço de servir a Deus", mas veja o que diz a Palavra do Senhor: "Quando, pois, te perguntar este povo, ou qualquer profeta, ou sacerdote, dizendo: Qual é o peso do Senhor? Então lhes dirá: Que peso? Que vos deixarei, diz o Senhor. E, quanto ao profeta, e ao sacerdote, e ao povo, que disser: Peso do Senhor, eu castigarei o tal homem e a sua casa. Assim direis, cada um ao seu campanheiro, e cada um ao seu irmão: Que respondeu o Senhor? e que falou o Senhor? Mas nunca mais vos lembrareis do peso do Senhor; porque a cada um lhe servirá de peso a sua própria palavra; pois torceis as palavras do Deus vivo, do Senhor dos Exércitos, o nosso Deus. Assim dirás ao profeta: Que te respondeu o Senhor, e que falou o Senhor? Mas, porque dizeis: Peso do Senhor; Assim o diz o Senhor: Porque dizeis esta palavra: Peso do Senhor, havendo-vos ordenado, dizendo: Não direis: Peso do Senhor; Por isso, eis que também eu me esquecerei totalmente de vós, e a vós, e à cidade que vos dei a vós e a vossos pais, tirarei da minha presença. E porei sobre vós perpétuo opróbrio, e eterna vergonha, que não será esquecida." (Jr 23.33-40).
     Muitos tem se escandalizado por estas atitudes absurdas vindas de seus líderes, mas é ainda pior a pessoa de quem vem o escândalo: "Ai do mundo, por causa dos escândalos, porque é necessário que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem!" (Mt 18.7).
     Imitai vossos pastores? Sim, porém também atentar o modo de vida deles. Assim sendo, acautememo-nos dos falsos profetas!


                               Até a próxima semana.

                                         Fique na Paz do Senhor Jesus!

3 comentários:

  1. Caros Irmãos, tem um outro blog com um estudo que complementa muito bem este. Acessem: http://ubeblog.ning.com/forum/topics/pastores-versus-lobos-a-azeda?page=1&commentId=2076487%3AComment%3A1107515&x=1#2076487Comment1107515

    ResponderExcluir
  2. Adorador de Cristo13 de maio de 2011 14:15

    Olá, irmãos, a Paz!
    Aprofundando-me sobre o assunto, encontrei no site da Igreja do Nazareno de Anchieta um estudo que complementa perfeitamente este. Veja abaixo:

    Pastores e lobos têm algo em comum: ambos se interessam pelas vidas das ovelhas, e vivem perto delas.
    Assim, muitas vezes, pastores e lobos nos deixam confusos para saber quem é quem. Isso porque lobos desenvolveram uma astuta técnica de se disfarçar em ovelhas interessadas no cuidado de outras ovelhas.
    Parecem ovelhas, mas são lobos.
    No entanto, não é difícil distinguir entre pastores e lobos.
    Urge a cada um de nós exercitar o discernimento para descobrir quem é quem.
    Pastores buscam o bem de suas ovelhas; lobos buscam os bens das ovelhas.
    Pastores gostam de convívio; lobos gostam de reuniões.
    Pastores vivem a sombra da cruz; lobos vivem a sombra de holofotes.
    Pastores choram pelas suas ovelhas; lobos fazem suas ovelhas chorar.
    Pastores tem autoridade espiritual; lobos são autoritários e dominadores.
    Pastores tem esposas; lobos têm co-adjuvantes.
    Pastores tem fraquezas; lobos são poderosos. Pastores olham nos olhos; lobos contam cabeças. Pastores apaziguam as ovelhas; lobos intrigam as ovelhas.
    Pastores tem senso de humor; lobos se levam a sério.
    Pastores são ensináveis; lobos são donos da verdade.
    Pastores tem amigos; lobos têm admiradores. Pastores se extasiam com mistério; lobos aplicam técnicas religiosas.
    Pastores vivem o que pregam; lobos pregam o que não vivem.
    Pastores vivem de salários; lobos enriquecem. Pastores ensinam com a vida; lobos pretendem ensinar com discursos.
    Pastores sabem orar no secreto; lobos só oram em público.
    Pastores vivem para suas ovelhas; lobos se abastecem das ovelhas.
    Pastores são pessoas humanas; lobos são personagens religiosos caricatos.
    Pastores vão para o púlpito; lobos vão para o palco.
    Pastores são apascentadores; lobos são marqueteiros.
    Pastores são servos humildes; lobos são chefes orgulhosos.
    Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas; lobos se interessam pelo crescimento das ofertas.
    Pastores apontam para Cristo; lobos apontam para si mesmos e para a instituição.
    Pastores são usados por Deus; lobos usam as ovelhas em nome de Deus.
    Pastores falam da vida cotidiana; lobos discutem o sexo dos anjos.
    Pastores se deixam conhecer; lobos se distanciam e ninguém chega perto.
    Pastores sujam os pés nas estradas; lobos vivem em palácios e templos.
    Pastores alimentam as ovelhas; lobos se alimentam das ovelhas.
    Pastores buscam a discrição; lobos se autopromovem.
    Pastores conhecem, vivem e pregam a graça; lobos vivem sem a lei e pregam a lei.
    Pastores usam as escrituras como texto; lobos usam as escrituras como pretexto.
    Pastores se comprometem com o projeto do reino; lobos têm projetos pessoais.
    Pastores vivem uma fé encarnada; lobos vivem uma fé espiritualizada.
    Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem adultas; lobos perpetuam a infantilização das ovelhas.
    Pastores lidam com a complexidade da vida sem respostas prontas; lobos lidam com técnicas pragmáticas com jargão religioso.
    Pastores confessam seus pecados; lobos expõem o pecado dos outros.
    Pastores pregam o Evangelho; lobos fazem propaganda do Evangelho.
    Pastores são simples e comuns; lobos são vaidosos e especiais.
    Pastores tem dons e talentos; lobos têm cargos e títulos. Pastores são transparentes; lobos têm agendas secretas.
    Pastores dirigem igrejas-comunidades; lobos dirigem igrejas-empresas.
    Pastores pastoreiam as ovelhas; lobos seduzem as ovelhas.
    Pastores trabalham em equipe; lobos são prima-donas.
    Pastores ajudam as ovelhas a seguir livremente a Cristo; lobos geram ovelhas dependentes e seguidoras deles.
    Pastores constroem vínculos de interdependência; lobos aprisionam em vínculos de co-dependência.

    Os lobos estão entre nós e é oportuno lembrar-los do aviso de Jesus Cristo.

    "Guardai-vos dos falsos profetas, que vêem a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores". (Mateus 7:15)

    ResponderExcluir
  3. CUIDADO COM OS PROFETAS!

    Jesus nos advertiu ao dizer "acautelai-vos dos falsos profetas". Por que somos frequentemente advertidos no Novo Testamento? A razão é que esses falsos profetas são enganosos. Eles são sutis e astutos, não são barulhentos. Eles vêm vestidos de ovelhas, e não de lobos. Eles parecem, falam e agem como cristãos. Jesus falou a respeito dos últimos dias que "levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos" (Mt 24.11). Ele continuou dizendo que, se possível, até os próprios escolhidos seriam enganados por eles por causa de seus sinais e prodígios.

    Como poderemos conhecê-los? Jesus disse que nós os conheceríamos pelos seus frutos, não pelos seus ensinos ou sinais e maravilhas. Permita-me enfatizar um ponto importante: Jesus não disse que conheceríamos os falsos profetas por causa de suas profecias ou que conheceríamos os verdadeiros profetas pelo fato de suas profecias se cumprirem. Esse pensamento vem do Velho Testamento: “Sabe que, quando esse profeta falar em nome do SENHOR, e a palavra dele se não cumprir, nem suceder, como profetizou, esta é a palavra que o SENHOR não disse; com soberba, a falou o tal profeta; não tenhas temor dele” (Dt 18.22).

    Muitos hoje julgam os verdadeiros e os falsos profetas por essa referência, ao invés daquela que Jesus nos deu. Tenho ouvido inúmeras pessoas, mesmo líderes, dizendo que um homem era um falso profeta porque entregou uma profecia que não se cumpriu. Mas tenho ouvido também pessoas dizerem: "Eu sei que esse homem é um profeta verdadeiro porque aquilo que ele diz se cumpre".

    No entanto permita-me dizer que no Velho Testamento Balaão - que era um profeta corrupto cujo coração era ambicioso - profetizou corretamente sobre Israel e sobre o nascimento do Messias. Mesmo que suas palavras proféticas fossem corretas, seu fruto era mal. Portanto Jesus disse que ele "ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição" (Ap 2.14).

    Ele recebeu dinheiro e presentes para amaldiçoar Israel, mas, porque ele não pôde amaldiçoar quem Deus tinha abençoado, ele ensinou Balaque como colocar os filhos de Israel debaixo de maldição, incitando-os a pecar. Isso os colocaria sob o julgamento de Deus.

    Como resultado, vinte e quatro mil filhos de Israel morreram da praga que veio como julgamento da sua desobediência (Nm 23.8). O fruto de Balaão era mal, ainda que suas profecias fossem corretas. Ele era um falso profeta, e, em Josué 13.22, ele foi chamado de "adivinho" e foi morto pelo fio da espada de Israel numa batalha.

    Então, como podemos verificar, se são exatas ou não as profecias de um homem para determinar se ele é um profeta falso ou verdadeiro não funciona, mesmo no Velho Testamento. Vamos examinar cuidadosamente os critérios de Deus no Velho Testamento para discernir entre os profetas falsos e verdadeiros.

    O fruto da vida e do ministério de Balaão fez os filhos de Israel se desviarem do coração do Senhor, ainda que as palavras que ele profetizou fossem verdades e certas. Então percebemos que mesmo que as palavras de uma pessoa sejam corretas, não é uma confirmação de que ela é um profeta verdadeiro.

    Jesus deixou isso claro ao dizer: "Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis" (Mt 7.20). O que precisamos examinar é o fruto da vida do ministro como o fruto do seu ministério.


    Tomamos cuidados com os Profetas “velhos” (1 Reis 13. 1-28)

    ESTUDO RETIRADO DE:
    http://jesusdentrodobarco.blogspot.com/2011/03/cuidado-com-os-profetas.html

    ResponderExcluir